Cuba, um exemplo de fracasso

Por Leonardo R. Velasco 12/07/2021 - 22:24 hs

Paraíso dos lunáticos, lugar desprezível para conservadores, apenas uma ilha com o povo escravizado pela ditadura socialista. Cuba grita por liberdade.

Não conheço Cuba e, sinceramente, não pretendo conhecer. Meus amigos que por lá estiveram sentem pena e dó de um povo sofrido e escravizado por uma oportunista ditadura socialista que outrora se dizia comunista.

O povo tem fome, mas Fidel Castro, o ditador assassino, aquele que talvez tenha sido a alma mais honesta de Cuba, segundo os ideólogos da esquerda brasileira, deixou fortuna estimada em 900 milhões de dólares. Não se sabe como ele conseguir isso, afinal, a ilha enfrentava embargos econômicos (nada que não tenha sido resolvido pelo contrabando no porto de Muriel).

Não se deixe enganar pela falácia de que Cuba é um lugar bom, não é. Fidel e seus comparsas enriqueceram às custas da miséria e sofrimento do povo cubano. Em Cuba não existe a expressão: dignidade da pessoa humana.

É mentira que a educação, medicina e segurança em Cuba são o que há de melhor no mundo. Quem diz isso são os adolescentes tardios que aqui no Brasil vestem camisetas do genocida Che Guevara. Cuba é uma ditadura incompetente e assassina. As imagens divulgadas no dia 11/07/2021 desnudaram a miséria, fome e violência estatal contra a população cubana, depois disso, a internet foi cortada e o aparato militar estatal foi em peso às ruas oprimir os manifestantes

O fã clube brasileiro de Fidel, onde tem acento Lula, Boulos, Dilma e FHC, nada disse sobre os gritos do povo cubano por “Liberdade e Abaixo a Ditadura”. Certamente irá se manifestar dizendo que o povo de Cuba é ingrato e, portanto, deve ser reprimido pelo governo. Falarão também sobre a autonomia e soberania dos povos, ou seja, o Brasil não tem nada com isso.

Pensadores de viés socialista e outras cepas de gente perniciosas e sem noção, nada dirão sobre a fala do atual ditador cubano, Miguel Díaz-Canel, uma marionete dos irmãos Castro: "A ordem de combate está dada: os revolucionários devem ir para as ruas". O que ele quer é a morte do povo. O povo de Cuba protesta por comida, por remédio e pelo direito de viver em liberdade, encontrará ao fim e ao cabo, a morte.